domingo, 12 de dezembro de 2010

XXIV - ZEN

























ZEN

Sinto uma idéia a puxar-me
Ao preço grátis da vida
E povoada de charme

Linda noite a mim trazida
Sinaliza como alarme
A força do céu caída

Essa aparece pertinho
Onde se afina a matéria
Dimensão como adivinho
Penetrada em minha artéria

Imagem por que me alinho
Distante, prevista e séria
Qual sonho belo ou carinho
Sucede causando apnéia

Miguel Eduardo-


Um comentário:

marilandia disse...

"...Ao preço grátis da vida...", "ZEN", "de charme" povoado...

FABULOSO!!!
SONETO DE GRANDES MESTRES!!!

Beijos.
Marilândia