quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

XXVI - EXATA ROSA...















Exata rosa para alguém
Seja da estirpe, essa que aprove
A sedução que me mantém

Que o tempo passa e a não demove
Rumando às cúpulas, meu bem
Nó de noves, sessenta e nove

Que vem, me pega e que abocanho
Qual fero tigre esfomeado
Perante o garbo sem tamanho
Supremo gozo coroado

E junto a ti, soneto estranho
Em cada verso aqui deitado
Digo o que quero e não me acanho
Tenho o meu sonho realizado

Miguel Eduardo-


2 comentários:

marilandia disse...

"...E junto a ti, soneto estranho
Em cada verso aqui deitado
Digo o que quero e não me acanho
Tenho o meu sonho realizado"

APLAUSOS COM LOUVOR!!!
"EXATA ROSA..." em tons maiores...

Beijos.
Marilândia

Karinna* disse...

*Não há lugar melhor que estar nos braços, no olhar, na pele, no interior, na alegria de quem se ama.
Belíssimo!
BjM-
K*