quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

XXXII - MAESTRO

























MAESTRO

Sou a batuta que me tem
Pois sei que nela existe vida
Na harmonia daqui e além
Dando aos acordes a investida

Esta, que entre as coisas mais raras
O belo oferece aos sentidos
E os deslumbram com suas aparas
Canções de domar os ouvidos

Diante de mim, grande feitiço
Aos olhos emprestam a chama
Místico bálsamo, por isso

É como a luz que ampara e guia
Lua cheia, sê minha efígie
Sol meu que nunca se esvazia

Miguel Eduardo

2 comentários:

Karinna* disse...

*Não canso de ler teus sonetos Poeta Miguel Eduardo Gonçalves.
Exímio, original, sedutor, sensório, desnudo poetar!
Admiro-te
Beijos de sóis de janeiro
Ka*

marilandia disse...

MAESTRIA NA MAGIA DOS VERSOS TEUS, MIGUEL!!!

"...Na harmonia daqui e além
Dando aos acordes a investida..."

Beijos.
Marilândia