sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

XXX - SEIVA DA ENERGIA

























SEIVA DA ENERGIA

Pupilas de fazer imaginar
Do jeito que cintilam ao luar
Que os olhos resplandecem iguarias
Parecem quentes sóis em noites frias

Lençóis que pegam fogo de alagar
Certo calor se expande pelo ar
Distante em céus imensos de euforias
Nas íris em sussurros tu vivias

E nesse haver tão grande o desejar
Pusesse o meu juízo a ser um mar
Que a falta de pudor me fartaria

Em ser quando me abraças devagar
Paixão em que te fazes suspirar
E separar as pernas da folia

Miguel Eduardo

Um comentário:

marilandia disse...

"SEIVA DA ENERGIA" sussurra suspiros e "se expande pelo ar".
Teus divinos poemares "pegam fogo de alagar..."

SENSACIONAL!!!
Beijos e uma vez mais, FELIZ ANIVERSÁRIO!

Marilândia